Slow cooker pulled chicken - ou o melhor frango desfiado da minha vida

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Há alguns anos - não me lembro quantos -, o hômi me deu de presente uma slow cooker. Já ouviu falar? É uma panela elétrica muito popular fora do Brasil. Ela é usada para cozimentos lentos, em baixa temperatura. Você junta os ingredientes nela, dá uma misturada e esquece por algumas horas. Há quem vá trabalhar com ela ligada e, quando chega em casa, já está com o jantar prontinho.

Apesar de ter feito uma volumosa coleção de receitas para slow cooker, eu pouco usei a minha panela. Até que resolvi tomar vergonha na cara e botá-la pra jogo. Gostei tanto do resultado que estou querendo testar receitas novas toda semana.

Este franguinho aqui é uma beleza. É tão, tão fácil de fazer e fica tão bom! Você pode comê-lo  junto com a sua comidinha de sempre, como faria com um franguinho ensopado, ou pode usá-lo no escondidinho, acompanhando macarrão, recheando uma torta ou um pão francês... as possibilidades são infinitas!

Slow cooker pulled chicken
Receita adaptada daqui 

Ingredientes: 

700 g de filé de peito de frango (2 grandes)
1 colher (sopa) de azeite de oliva ou de óleo de abacate
1 lata de tomate pelado de boa qualidade
2 tâmaras sem caroço
2 dentes de alho
 1 cebola pequena descascada e cortada em pedaços
2 colheres (sopa) de vinagre de maçã
1/2 colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de páprica defumada
100 g de tomate seco de boa qualidade, escorrido

Modo de preparo:

Em uma panela grande de cozimento lento, acomode os peitos de frango e unte com o azeite.

No copo do liquidificador, junte o restante dos ingredientes e bata até obter um purê. Prove e corrija o sal, se necessário.

Verta o purê sobre os filés de peito, cobrindo bem a sua superfície (use uma colher para auxiliar).

Tampe a panela e programe para cozinhar em temperatura baixa por 4 horas.

Passado esse período, retire o filés de peito de dentro da panela (mantenha-na ligada) e desfie-os utilizando 2 garfos (é moleza, o frango vai estar suuuper macio e fácil de desfiar). Devolva o frango à panela e misture bem com  molho.

Pronto! Pode servir!

Observações finais:

* A receita original leva 4 colheres (sopa) de extrato de tomate, no lugar de tomates secos. Como eu não tinha em casa, usei o tomate seco (que, de certa forma, também é tomate concentrado, néam).

* Quer fazer a receita mas não tem uma slow cooker? Ih, não sei se posso ajudar, conversão de receitas de slow cooker para forno ou fogão é um trem complicado. Veja se esse link aqui ajuda.

Friands de coco da Stefânia

domingo, 14 de maio de 2017

Fiz estes bolinhos para receber a tia do meu marido, que há muito tempo não nos visitava. Foi um sucesso - enquanto saboreava os bonitinhos com um café fresco, ela já pediu a receita. Alice não quis provar, mas o irmão papou cinco deles, bem feliz.

A receita foi publicada há pouco tempo no Com uma pitada de açúcar, da talentosérrima Stefânia (se você não conhece o blog dela, tem que ir lá agora - tudo que ela faz é incrível). E tem tudo para ser habituée da minha cozinha - e da sua também! Quer ver só?

  • Não há ingredientes incomuns: só coco, farinha, manteiga, claras, açúcar, sal e baunilha;
  • O preparo é moleza: basta tigela, fouet e a massa fica pronta num estalar de dedos;
  • Dá para guardar a massa na geladeira por até 4 dias até o momento mais oportuno de assar;
  • É muito, muito bom.

Minha única recomendação é: asse em forminhas de metal para que eles fiquem com uma cor mais bonita e dourada. Os meus foram assados em forminhas de silicone e ficaram deliciosos, mas branquelos de dar dó.

Friands de coco
Receita daqui

Ingredientes:

4 claras de ovo, em temperatura ambiente
1 e 1/2 xícara de coco ralado, mais um tiquinho para enfeitar (usei coco fresco)
2/3 xícara de açúcar cristal
1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de extrato de baunilha
1 pitada de sal
1/2 xícara de manteiga sem sal, derretida e levemente morna

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180ºC. Unte com manteiga e polvilhe com farinha as forminhas que for usar - podem ser de cupcakes ou mini cupcakes, você escolhe.

Em uma tigela grande, bata levemente as claras até que comecem a espumar. Acrescente os demais ingredientes na sequência acima e misture até que fique homogêneo.

Divida a massa nas forminhas preparadas e decore com mais um pouquinho de coco ralado. Leve ao forno por 17-20 minutos ou até que os bolinhos passem no teste do palito. Retire do forno e deixe esfriar antes de servir.

Rendimento: 10 bolinhos do tamanho de cupcakes standard ou 14 nas forminhas de silicone que usei (que são um pouco menores).

Salada azedinha de pepino e maçã

terça-feira, 9 de maio de 2017

Depois de dois brownies seguidos, vamos pegar mais leve, né? Vamos de saladinha de pepino. Bem azedinha, com uma crocância super agradável e, para completar, o docinho da maçã, que está na safra. Afff, que coisa boa. Tão boa que eu fico com água na boca só de descrevê-la (e olha que eu a comi ainda agora, no almoço, hahahaha).

Esta salada simplérrima entrou definitivamente para o top 3 de receitas preferidas com pepino. E não há de sair do meu cardápio. Prove e veja se ela não ganha o seu coração.

Tangy cucumber apple salad
Receita adaptada daqui

Ingredientes (para 2-3 pessoas):

2 colheres (sopa) de vinagre de maçã
1 colher (sopa) de azeite de oliva extravirgem
1/2 colher de chá de sal
Pimenta do reino moída na hora a gosto
4 pepinos japoneses médios
1 maçã doce pequena
1 colher (sopa) de cebolinha fresca picadinha

Modo de preparo:

Coloque o vinagre, o azeite, o sal e a pimenta moída em uma tigela média e misture com um fouet para combinar.

Com um mandoline, fatie os pepinos em rodelas finas. Corte a maçã em quartos, tendo o cuidado de remover as sementes, e fatie fino também. Junte tudo à tigela com o molho. Acrescente a cebolinha picada e misture delicadamente.

Tampe a tigela e leve à geladeira por, pelo menos, 30 minutos ou de um dia para o outro para permitir que os sabores se combinem. Antes de servir, prove e corrija sal e pimenta, se julgar necessário.

As sobras aguentam bem por até 3 dias na geladeira.

Brownies para Cinco de Mayo

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Olás! Ultimamente tenho tido dificuldade de manter a assiduidade das postagens aqui no blog. Os dias estão corridos e a disposição para cozinhar de madrugada já não é a mesma. Mas, finalmente, farei uma postagem temática no dia certo: hoje é 5 de maio, ou Cinco de Mayo, um dia de fiesta para os mexicanos!

Para celebrar os 155 anos da improvável vitória mexicana contra o exército francês na batalha de Puebla (sim, eu consultei a Wikipedia para saber exatamente do que se tratava, hehehe), vamos de brownie de novo!

Este tem uma pegada mais spicy, com canela e pimenta caiena. Eu adoro - meu chocolate preferido do momento é um amargo com chilli. 

A massa é bem fluida, parece de bolo, e a gente fica com a sensação de que não vai dar certo e que vai ter um brownie 'cakey' (que eu não curto muito). Mas, depois de frio, ele se redime e fica mais denso, como o bom brownie deve ser.

Sem mais delongas, vamos à receita!

Brownies mexicanos
Receita ligeiramente adaptada daqui

Ingredientes:

200 g de manteiga sem sal
1 2/3 de xícara de açúcar
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
4 ovos grandes
1 xícara de farinha de trigo
2/3 de xícara de cacau em pó não adoçado de boa qualidade (eu uso o da Barry Callebaut)
1 colher (chá) de canela
1/2 colher (chá) de pimenta caiena* 
1/2 colher (chá) de fermento químico em pó
1/4 de colher (chá) de sal

Modo de preparo:

Ligue o forno a 180ºC. Unte com manteiga uma assadeira média (25 cm X 35 cm). Forre com papel manteiga, deixando sobras de papel dos lados, e unte o papel também.

Em uma tigela, peneire juntos os ingredientes secos - farinha, cacau, canela, pimenta, fermento e sal. Misture bem com um fouet e reserve.

Em uma panela grande, leve a manteiga ao fogo somente até derreter. Deixe que ela amorne e então adicione o açúcar, a baunilha e os ovos, misturando muito bem com uma colher de pau a cada adição. Adicione os ingredientes secos e mexa até que fique bem uniforme.

Verta a massa na assadeira preparada e leve ao forno por uns 25 minutos ou até que o brownie passe no teste do palito (ao espetá-lo, o palito de dentes sai com migalhas úmidas).

Deixe o brownie amornar na assadeira. Para desenformá-lo, segure as sobras de papel manteiga e erga-o cuidadosamente.

Corte em pedaços e sirva.

Rendimento: 15 pedaços grandes (6 cm X 6 cm) e um monte de aparas deliciosas.

Observação final:

* Pra quem não está habituado com pimentas e picâncias, é melhor começar com 1/4 de colher de chá de pimenta-caiena. Prove - se achar pouco, coloque mais um pouquinho.

Brownies de M&Ms

sábado, 22 de abril de 2017

Na Páscoa deste ano, decidi preparar brownies para as professoras (e professor) dos meus filhos. Queria algo gostoso e que não desse muito trabalho, mesmo que não tivesse um rendimento estupendo, como cookies. Só de pensar em modelar dezenas de biscoitos, ficar plantada do lado do forno morrendo de calor para não deixá-los queimar... que preguiça.

Usei como base a minha receita preferida de brownies de chocolate. Como queria usar M&Ms, que são bem doces, precisei fazer alguns testes de redução da quantidade de açúcar para conseguir contrabalancear. Também adicionei café para um paladar um pouquinho mais interessante.

Ficaram deliciosos! Além de bonitos, ficaram bem equilibrados quanto à doçura* (*sei que o correto é dulçor, mas acho tããão feio), com textura fudgy perfeitinha e casquinha crocante. E, o mais importante: quem ganhou adorou!

Brownies de M&Ms
Receita adaptada daqui

Ingredientes

150g de manteiga sem sal, temperatura ambiente e picada
150g de chocolate amargo picadinho (usei um com 70% de cacau)
180g de açúcar refinado
50g de açúcar mascavo claro
3 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de café solúvel (usei um pouco do pó de uma cápsula de café descafeinado)
150g de farinha de trigo
¼ colher (chá) de sal
100g de M&Ms comuns*

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma assadeira retangular com 26 cm X 17 cm, forre-a com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos, formando “alças”, e unte o papel também (eu prefiro usar uma assadeira descartável de alumínio com capacidade para 1,5 L).

Derreta juntos a manteiga e o chocolate: acomode-os em uma panela de fundo grosso, em fogo baixinho, e mexa vigorosamente o tempo todo para não deixar queimar. Quando eles estiverem parcialmente derretidos, remova a panela do fogo e continue mexendo até que o derretimento esteja concluído.

Com um batedor de arame, incorpore os açúcares à mistura de chocolate derretido. Verifique então se a temperatura da mistura já está morna. Se estiver, junte os ovos, um a um, mexendo bem a cada adição. Some a baunilha e o café. Peneire a farinha e o sal sobre a mistura e incorpore gentilmente com uma espátula de silicone, mexendo de baixo para cima, até que não haja mais farinha aparente. Envolva 2/3 dos M&Ms.

Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície com uma espátula de silicone. Sobre ela, distribua o restante dos M&Ms. Asse por 20-25 minutos ou até que as laterais e o topo estejam sequinhos, mas com o centro ainda úmido.

Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir. Rendimento: 1 assadeira de 26 cm X 17 cm ou 8 pedaços de 6 cm X 6 cm (e umas aparas maravilhosas).

Observações finais:

* Usei um utensílio novo que comprei há pouco tempo para cortar os brownies - um cortador múltiplo para brownies e pão de mel de 6 cm x 6 cm. Adorei o resultado, ficou super uniforme.

* Achou o método de derretimento do chocolate muito temerário? Derreta então no micro-ondas ou em banho-maria.

* Recomendo que você use M&Ms comuns por dois motivos: os M&Ms de amendoim nem sempre são os favoritos das pessoas; e os de ovinhos de Páscoa ficam terrivelmente feios e desbotados quando vão ao forno, além de serem chatos de cortar.

* Para preparar as lembrancinhas, fiz assim: primeiro, recortei quadrados de papel manteiga para colocar os quadradinhos de brownie em cima (para que eles não grudassem na embalagem ou um no outro). Em saquinhos de celofane, coloquei dois brownies empilhados. Fechei os saquinhos com arames decorados e coloquei-os dentro de embalagens especiais - saquinhos de pano com orelhinhas de coelho, lindezas que comprei da Trícia Rocha, uma artista das agulhas e linhas daqui de Brasília.

Pãezinhos de leite

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Pãezinhos de leite

No post passado, contei pra vocês das minhas desventuras na cozinha - quase um mês só fazendo porcaria. A redenção veio com aquele bolo de chocolate lindão e delicioso.

Ainda assim, eu não conseguia me sentir suuuuper confiante. Resolvi então fazer um tira-teima: se a sorte realmente estiver de novo do meu lado, vai rolar até pãozinho. Mas, como eu não sou besta nem nada, fui atrás da receita de pão mais badalada do oráculo.

Deu tudo tão certinho, o pão ficou tão lindinho, tão cheiroso, tão gostoso que eu declaro: vai voltar a ter pão nessa casa! E bolo! E o que mais me der na veneta!

Quer dar o seu grito de (usando um termo da moda) empoderamento? Faça aí uma fornada desses pãezinhos, passe manteiga em um quentinho e grite, de boca cheia: EU POFO! EU CONFIGO!

Pãezinhos de leite - falta um
Receita ligeiramente adaptada daqui

Ingredientes:

330ml de leite (usei desnatado porque não costumo ter leite integral em casa)
65g de manteiga sem sal
3 colheres (sopa) de açúcar cristal
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
2 ovos
650g de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal

Para o acabamento:
1 ovo inteiro
1 colher (chá) de leite

Modo de preparo:

Coloque metade do leite em uma panelinha e leve ao fogo alto até que comece a ferver. Retire do fogo, junte a manteiga e o açúcar e misture até a manteiga derreter. Acrescente o leite restante e aguarde a mistura ficar morna para despejá-la na tigela de uma batedeira planetária (ou numa tigela grande, caso você vá sovar a massa à mão). Junte o fermento biológico, misture bem com um garfo para dissolvê-lo e aguarde uns 5 minutos ou até que a mistura espume.

Junte os ovos, a farinha e o sal e trabalhe a massa com o batedor em formato de gancho por cerca de 8 minutos (velocidade baixa) ou até obter uma massa lisa e macia – ou sove na mão por uns 10-12 minutos. Transfira a massa para uma tigela grande com um pouquinho de manteiga derretida no fundo. Gire a massa até que toda a sua superfície, bem como a superfície interna da tigela, fiquem untadas. Cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar morninho até dobrar de volume, uns 40 minutos. Nesse meio tempo, unte com manteiga uma forma de metal de 20 x 30 cm e reserve.

Dê um soquinho na massa para retirar o ar, divida-a em 15 porções de 75 g, cada, e forme uma bolinha com cada porção (não sabe bolear? Olhe esse vídeo fantástico). Arrume as bolinhas de massa na forma previamente preparada, umas ao lado das outras, deixando 1 cm de distância entre elas. Cubra com um pano de prato limpo e seco e deixe crescer novamente, cerca de 40 minutos – enquanto isso, preaqueça o forno a 200°C.

Em uma tigelinha, bata o ovo e o leite juntos. Pincele os pãezinhos com a mistura e leve ao forno por 20-25 minutos ou até que dourem bem e, ao dar batidinhas neles com os nós dos dedos, o som seja de algo oco. Deixe esfriar na forma, sobre uma gradinha, por 5 minutos. Desenforme com cuidado sobre a gradinha e deixe esfriar. Sirva os pãezinhos mornos ou em temperatura ambiente.

Os pãezinhos podem ser congelados por até 1 mês: deixe que esfriem completamente e guarde-os em saquinhos Ziploc.

Observações finais:

* Para a minha casa, um pão de 75g é grande demais (bocas pequenas para alimentar, sacumé). Se você também prefere pãezinhos menores, faça 24 porções com uns 50g.

* Ainda hei de preparar esse pãozinho com leite integral. Aí volto aqui para contar a diferença que faz.

* Hoje é dia do meu provador preferido de todos os tempos - aquele que aprendeu a criticar tudo que come segundo aparência, textura, sabor, umidade, aroma, retrogosto e o escambau só para me ajudar em uma época em que eu não podia comer o que cozinhava. O meu namorado pelos últimos 23 anos. O pai da pimpolhada. O genro de dona Lucia. O hômi. Mande boas vibrações pra ele, que ele merece!

Bolo de chocolate e vinho tinto

terça-feira, 11 de abril de 2017

Acabo de voltar de uma licença-capacitação de um mês. Durante este período, além de ter estudado bastante, tentei cozinhar mais frequentemente. TENTEI. Mas, para meu horror, nada do que eu fiz deu muito certo. A granola queimou, o bolo virou vulcão dentro do forno, o pão não cresceu, o gosto não agradou. Era como se eu e a cozinha já não nos entendêssemos mais.

Em vez de me conformar a essa triste sina, resolvi dar a volta por cima. Para isso, voltei ao básico - seguir receitas sem qualquer tipo de invencionice, prestar muita atenção a cada passo e escolher referências infalíveis. 

E quem é a minha referência infalível? O oráculo que tudo sabe? Que tem as receitas em que eu confio de olhos fechados? É Patrícia Scarpin, mia gente. E foi na mão da Pat que eu segurei para recuperar a minha autoconfiança.

Este bolo, eu namoro há um tempão, mas demorei para preparar por conta do vinho - não ia abrir uma garrafa para usar só 1/2 xícara. Por outro lado, tenho consumido tão pouca bebida alcoólica que não achava que conseguiria dar cabo do restante da garrafa. Até que achei uma garrafita de 375 mL. Beleza! 

Da primeira vez que fiz, segui a receita original de cabo a rabo, morta de medo de retirar mais uma decepção do forno. Mas, que nada, o bolo ficou incrível, desenformou lindamente. A cobertura ficou saborosa e bem equilibrada (só precisei dobrar a receita porque queria algo mais farto). Mandei para o trabalho do marido e foi um sucesso.

Mas o hômi, meu crítico habitual, fez suas considerações: apesar de fofo, o bolo não era tão úmido quanto os que eu costumo fazer. E a cobertura podia ter gostinho de vinho também, né.

Assim, da segunda vez que eu o preparei, já me senti confiante para mexer aqui e ali. E deu certo! E ficou tão bom! Levei para o meu trabalho e todo mundo adorou! Agora estou esperando uma próxima oportunidade de prepará-lo de novo para o hômi tirar a teima. 

Ah, um aviso importante: este bolo, como eu o apresento aqui, não é para crianças - sobra vinho e talvez falte uma doçura mais escandalosa.

Bolo de chocolate com vinho tinto
Receita adaptada daqui com calda adaptada daqui

Ingredientes:

Bolo:
200g de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar + um pouquinho a mais para polvilhar a forma
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/8 colher (chá) de sal
150g de óleo vegetal de sabor suave (usei girassol)
1 xícara (200g) de açúcar cristal
4 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
200g de chocolate meio-amargo, derretido e frio (usei um com 70% de cacau)
½ xícara (120ml) de iogurte natural, temperatura ambiente
½ xícara (120ml) de vinho tinto, temperatura ambiente

Calda (a receita original é exatamente o dobro desta, mas sobra calda demais):
113 g de chocolate meio-amargo (usei um com 70% de cacau)
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
1/4 de colher (chá) de sal
1/4 de xícara de açúcar de confeiteiro
1/4 de xícara de vinho tinto

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180°C. Unte generosamente com manteiga uma forma de furo central do tipo Bundt com capacidade para 10 xícaras de massa, polvilhe-a com cacau e retire o excesso. Em uma tigela média, peneire juntos a farinha, o cacau, o fermento, o bicarbonato e o sal. Reserve.

Usando a batedeira, bata os ovos e o açúcar até obter um creme claro e fofo. Acrescente o óleo em fio, batendo até ficar bem misturado. Raspe as laterais da tigela com uma espátula de silicone, adicione a baunilha e mexa até ficar uniforme.

Em velocidade baixa, adicione o chocolate derretido e misture bem. Ainda em velocidade baixa, adicione metade dos ingredientes peneirados, seguidos pelo iogurte e pelo vinho, e finalize com o restante dos ingredientes peneirados – vá raspando as laterais da tigela a cada adição. Bata somente até incorporar os ingredientes. 

Transfira a massa para a forma e alise a superfície. Asse por 45-50 minutos ou até que o bolo cresça (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 15 minutos e então desenforme com cuidado na gradinha. Deixe esfriar completamente.

Para preparar a calda, aqueça o chocolate, a manteiga e o sal em uma tigelinha resistente ao calor encaixada sobre uma panela com água fervente (a água não deve tocar o fundo da tigela - é o velho e bom banho-maria). Misture constantemente até que a manteiga e o chocolate estejam derretidos, leva uns 5 minutos. Com o auxílio de um fouet, incorpore o açúcar de confeiteiro.

Enquanto isso, leve o vinho tinto ao fogo em uma panelinha até levantar fervura.

Remova a mistura de chocolate do calor e incorpore a ela o vinho tinto. Deixe esfriar por 8-10 minutos ou até que a mistura tenha engrossado um pouquinho e, ao ser misturada, mantenha a marca de onde a espátula passou.

Acomode o bolo no prato de servir e derrame sobre ele a calda.

Observações finais:

* Como eu demorei para derramar a calda (e usei o dobro da quantidade de ingredientes, como na receita original da revista Bon Appétit), fiquei com um montão de calda densa o suficiente para cobrir o bolo feito uma cobertura. Foi o que eu fiz. Também polvilhei com flocos de chocolate amargo.

O que sobrou da calda, servi com sorvete, aquecendo previamente no micro-ondas.

* Este post não pretende homenagear um dos caras mais legais com quem eu já trabalhei, um cabra talentoso, com postura profissional impecável e um coração maior que o mundo. Rodrigo, como você detesta que se festeje o seu aniversário, este post é só pra dizer que você faz muita falta. E que eu torço muito por você em seu novo caminho. Você sabe disso ;-).

* E, já que ela gosta, Mari, amiga amada, que os seus caminhos sejam sempre leves e iluminados. Espero que eu consiga vê-la além das telas da TV!

Printfriendly